Soldagem de união interna em tubos de aço C-MN cladeados com Inconel 625

Orientador: Prof. Dr. Régis Henrique Gonçalves e Silva


:: Projeto Completo em PDF

PROJETO DE DISSERTAÇÃO
Documento submetido ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica da Universidade Federal de
Santa Catarina.

Introdução
A indústria de petróleo e gás foi um dos ramos em maior crescimento nas últimas décadas, pois a demanda por combustíveis, borracha, solventes e demais derivados de petróleo cresce a cada dia. Sendo assim, é indiscutível a elevada importância desse setor na economia mundial e no desenvolvimento do Brasil, o qual tem cerca de 42,1% da sua matriz energética oriunda do gás natural e do petróleo, de acordo com dados estatísticos do Ministério de Minas e Energia.
No mundo, o Brasil é um dos países com as mais avançadas tecnologias de exploração de petróleo em águas profundas. Assim, a Petrobrás tem investido seus esforços no pré-sal, uma região perto da costa brasileira com reservas de hidrocarbonetos situadas de 5 mil a 7 mil metros abaixo do nível do mar. Em tais profundidades, as exigências mecânicas nas estruturas de tubulações para escoamento do petróleo torna-se um grande desafio, além do alto nível de
CO2 e H2S presente no fluido que exige alta resistência à corrosão interna. Deste modo, fica evidente a necessidade de qualidade na escolha de materiais para as tubulações (pipelines), na condição de risers rígidos, os quais são responsáveis pela condução do fluido desde o poço até a plataforma.
Normalmente na indústria petrolífera, quando havia-se a necessidade da utilização de componentes estruturais em que se exigia uma alta resistência à corrosão eram utilizadas ligas de aços inoxidáveis como os duplex ou superduplex, porém atualmente este cenário tem mudado, visto o alto custo na fabricação e compra desses materiais. Durante os últimos anos, as companhias do setor de petróleo e gás têm investido fortemente na área de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento). Com isso, houve grande progresso com relação aos materiais empregados para a construção destas tubulações. Pode-se citar como exemplo o desenvolvimento de tubos feitos de aços de alta resistência C-Mn, cladeados internamente com uma liga resistente à corrosão, como as superligas de níquel ou aços inoxidáveis. Este revestimento é também chamado de CRA (Corrosion Resistant Alloy). Esta configuração une as propriedades de alta resistência mecânica do aço com a alta resistência à corrosão da liga de revestimento, poupando custos, uma vez que não é necessária a utilização de um tubo fabricado totalmente de materiais nobres como duplex e superduplex.

(...)